sábado, 19 de setembro de 2015

OPERAÇÃO ÉDEN

OPERAÇÃO ÉDEN

Bom Jardim - Maranhão

Loura, bonita, 25 anos, Prefeita; a Lili está foragida desde a semana passada.

Ela é suspeita de desviar milhões em verbas dos públicos de um pequeno município do interior.

Com sobrenome de Leite, vendia leite na porta da casa da mãe para sobreviver na pequena cidade de Bom Jardim, no Maranhão.

Estudou apenas até completar o ensino fundamental. Valia-se da simpatia e da boa aparência para atrair a freguesia e acabou chamando a atenção de Humberto Dantas dos Santos, o Beto Rocha, fazendeiro de Lagarto (SE), com quem iniciou o namoro que mudaria sua vida para sempre.

Com patrimônio em torno de R$ 14 milhões, incluindo fazendas, caminhonetes de luxo e apartamentos em São Luís, o fazendeiro Beto não mediu esforços até agradar aquela jovem linda.

Ele já estava sendo investigado pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) denunciado à Justiça por prática de "captação ilícita de sufrágio" (compra de voto).

Beto então renunciou e lançou a candidatura da namorada acabou elegendo-a com 50,2% dos votos válidos (9.575) frente ao principal adversário. Beto então assumiu a Secretaria Municipal de Assuntos Políticos.

No entanto acabou preso na "Operação Éden", por problemas nas licitações do Município.

A rotina da jovem:  viagens, festas, roupas caras, veículos e passeios de luxo é incompatível com o salário de pouco mais de R$ 12 mil que Lidiane recebia como prefeita de Bom Jardim e passou a compartilhar por meio de fotos nas redes sociais.

E até respondeu para algumas colegas: --"Eu compro é que eu quiser. Gasto sim com o que eu quero. Tô nem aí pra o que achem. Beijinho no ombro pros recalcados".

Em outro post, ela diz: --"Devia era comprar um carro mais luxuoso pq graças a Deus o dinheiro tá sobrando (sic)".

E aquela cidadezinha do interior de Maranhão é considerada a segunda pior cidade para se viver no Vale do Pindaré, composto por outras 22 localidades.

Ela desviou muito dinheiro e provocou muitas fraudes: “contratos firmados com "empresas-fantasmas, nas licitatórias, transferências bancárias suspeitas e desvio de dinheiro da merenda escolar.”

Agora está sendo procurada pela Polícia Federal que montou um esquema de vigilância em rodovias, portos, aeroportos, rodoviárias e até em fazendas de amigos, onde ela poderia estar escondida, mas ainda não conseguiu encontrá-la.
Ela montou pistas falsas para enganar a Polícia e continua gastando o dinheiro retirado dos pobres daquele município.

Manoel Amaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário