terça-feira, 29 de julho de 2014

A TAÇA DA COPA DO MUNDO

A TAÇA

Imagem Google

Osvandir descia aquela rua esburacada, suja, lixo nas esquinas, catinga de urina por todo lado, era a ressaca proporcionada pela copa.

É que os Hermanos não são muito educados, e depois dizem que nós é que somos sem educação, não respeitamos as leis, não somos patriotas e etc. e tal.

Receberam as lições deles, não apanharam aqui, foram sem a taça e pronto. Caso encerrado.

Clos não queria saber mais de copa do mundo, estava preocupado agora era com o desaparecimento da Taça original.

Mas tudo isso aconteceu? Veja os fatos.

Aquela taça que a presidenta entregou ao campeão, tão brilhante, de ouro 18 quilates, com 36,8 cm de altura e 6,175 kg de peso. A base em duas camadas de malaquita semipreciosa, e a parte de baixo tinham gravados o nome de cada país campeão. Era falsa!

Foi um conhecedor de joias, aqui do Brasil, quem deu o grito:
Essa taça é falsificada!

Formaram logo uma comissão para estudar o assunto.

Como? Falsificada? Só pode ser coisa de brasileiro! E a segurança da Copa das Copas?
Até o Serviço de Inteligência foi requisitado para investigar o assunto.

Os alemães a levaram e estão muito felizes, mas onde está a original?

Do Brasil foi requisitado o Osvandir, que no momento andava meio ocupado com um visitante vindo da Franca, também investigador, o seu amigo Jean Jacques Clouseau, com o apelido de Clos.

Começaram seguindo os passos, através de vídeos, desde a chegada ao estádio e a entrega.

Notaram um vulto no meio da multidão com uma maleta de meio metro de comprimento, em atitudes suspeitas.

Logo as câmaras foram escurecidas, por um apagão intencional, e a seguir o mesmo vulto saiu para outro lado com a mesma maleta.

Acredita-se que minutos antes de ser entregue ela foi trocada por um bandido, vestido de jogador, que logo desapareceu no meio da multidão.
E agora? Como avisar aos alemães? E a FIFA? E se a jogada fosse dela?

Osvandir e Clos partiram para a Alemanha para investigar o assunto.

Receberam a incumbência de verificar se a taça era mesmo falsa.

Mas eles teriam que agir rápido, pois ao abrir o jornal do dia encontraram:

Alemães admitem que danificaram a taça da Copa nas comemorações

A taça da Copa do Mundo foi danificada por algum jogador alemão que se empolgou, completava o R7.

Ao chegarem ao local onde estava depositada, Osvandir e Clos disseram que eram do Brasil e precisavam fazer umas fotos da taça para o Museu do Futebol.

Acontece que Osvandir levou consigo uma pequena broca e ao colocá-la em posição para a foto passou a mão pelo pedestal. Pressionou o equipamento e com um furinho quase invisível retirou material do interior da taça.

Aquele material foi colocado rapidamente no seu bolso, sem que os guardas nada desconfiassem.

De volta ao Brasil, foram encontrar-se com o joalheiro que iria examinar o material coletado na taça.

Não precisou nem examinar, ele foi categórico:
É chumbo mesmo! Aquela cópia da taça é de chumbo recoberta por um folheado, do mesmo peso e tamanho da original.

Essa viagem e tanta observação por nada! A FIFA e os organizadores já sabiam. A taça original nunca foi entregue aos jogadores.

Aquilo era mesmo uma fantasia.

“Tudo bem que a taça recebida pelos alemães seja apenas uma réplica da original, que é feita com 5 kg de ouro puro e avaliada em cerca de 7,5 milhões de euros. O troféu verdadeiro foi entregue ao capitão Philipp Lahm, mas não seguiu viagem com o elenco campeão à Alemanha.”

Foi exatamente o que informou o jornal na manhã seguinte. 

Tanto esforço por nada!

Manoel Amaral

www.afadinha.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário