sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O ESTRANHO FENÔMENO

O ESTRANHO FENÔMENO
Imagem Google

Naquela pequena cidade do nordeste os fenômenos continuaram.
Aquelas crianças entre 14 a 17 anos continuavam a cair no chão, sem mais nem menos, com dores musculares.

Outras com dores de cabeça, sufoco no sistema respiratório, no peito, palidez, calafrio, dificuldades para caminhar, náusea.

Havia quem sentia paralisia muscular, aumento nos batimentos do coração, aumento da pressão arterial, desmaio, inquietação.

Todas ficavam com medo de morrer.

O terror estava instalado! Ninguém tinha mais sossego. Os pais em polvorosa, sem saber o que fazer.

Porque as meninas estariam gritando, em transe ou seria  ilusão coletiva?

Ao retomarem os sentidos não se lembravam de mais nada, apenas um vazio em suas mentes.

Quando acontecia com uma, todas ficam em pânico acreditando que também estariam sujeitas aos fenômenos paranormais.

Osvandir tomou conhecimento destes estranhos fenômenos partiu para aquela cidade a fim de encontrar uma solução.

Procurou se informar pela internet e ficou sabendo  que em duas cidades já haviam acontecido a mesma coisa: Itatira, em 2010 no Ceará e em novembro de 2007, em Chalco, próximo à Cidade do México.

Ficou sabendo que tudo é muito rápido, começa com um calafrio, depois as mãos ficam trêmulas, os batimentos do coração ficam acelerados, dá sede, um sufocamento toma conta do tórax, as pernas não seguram o corpo e aos poucos vem o desmaio.

Junto às famílias tomou conhecimento da rotina das alunas: iam de casa para escola, depois da aula passavam numa sorveteria e de lá seguiam para casa.

Fato observado é que todas estavam na puberdade que é um período em que ocorrem mudanças biológicas e fisiológicas.

E todas as vezes que sofriam aqueles ataques estavam no ciclo da  menstruação que pode durar de 3 a 8 dias, com perda de sangue, dor abdominal, alterações de humor e mamas sensíveis.
Pode haver ainda cansaço, sensação de inchaço e irritabilidade.
As mães davam um “Chá de Zabumba” para amenizar os efeitos da menstruação.

Acontece que o Chá de Zabumba, usado em infusão é alívio de espasmos musculares, bronco dilatação; mas também provoca delírios, perda de consciência e alucinações.

No livro “A Erva do Diabo” Carlos Castañeda, informa os efeitos deste chá que pode causar alucinações visuais e delírios incontroláveis.

Estava fechado o caso: não havia histeria coletiva, reação psicossomática ou histeria em massa e nem transes, apenas efeito do chá da planta alucinógena.

O relatório foi encaminhado para a Delegada local que solicitou das mães que não mais usassem os chás da erva do diabo.



Manoel Amaral
www.casadosmunicipios.com.br




O GA(RO)TO DE B(R)OTAS
Adaptação moderna do conto de Charles Perrault
Imagem Google


Nestes bons tempos de hoje, um político, que tinha três filhos, repartindo à hora da morte, os seus bens que valiam milhões; deu ao primogênito uma enorme fazenda, tratores, outros equipamentos e mais de mil cabeças de gado.

Ao segundo um belo apartamento a beira-mar, todo mobiliado, pronto para morar e alguns milhões para gastar.

Ao terceiro, por ser bastardo, deixou apenas um jovem que era um gato. Todas as meninas queriam se casar com ele.

O último herdeiro ficou muito descontente com a herança, mas o empregado lhe disse:

—  Meu querido patrão, compra-me um par de botas, uma moto e uma viola e, em breve, te provarei que sou de mais utilidade que uma fazenda ou um apartamento.

Assim aquele terceiro filho fez: comprou a moto, um par de botas e uma bela viola.

O jovem calçou as botas, montou na moto, jogou a viola às costas e foi dar umas voltas pelo povoado.

Ficou sabendo de um rodeio nas redondezas, partiu para o local. Como sabia cantar música sertaneja foi até lá e fez inscrição para montar e participar do show.

Isto tudo para ele, que vivia no campo, era coisa fácil. Sempre cantava com os amigos e montava os piores animais, na fazenda do velho patrão político.

Deu sorte que não caiu do cavalo naquela noite e conseguiu o primeiro lugar na montaria, recebendo uma camionete e um belo cinturão com fivela de ouro.

Como era esperto notou que o Governador estava presente com a sua filha Margarida. Ofereceu cinturão para a moça e disse-lhe que era oferta de seu rico patrão Senador Carajás.

No segundo dia, cantou música sertaneja de sua autoria e conseguiu vencer o concurso, recebendo R$500 mil reais e uma miniatura de viola em ouro.

Olhou no mais chique camarote e lá estava a filha do Governador. Desceu do palanque e entregou o prêmio para aquela linda mulher, dizendo que era uma cortesia do Senador Carajás, proprietário de uma mina de ouro no Norte do País.

No último dia cantou uma música sua e ofereceu a  filha do Governador, dizendo que era de autoria do Senador Carajás.

O Governador, já muito interessado, queria conhecer aquele Senador Carajás. Preparou a comitiva, mas o rapaz de botas, na sua moto, saiu na frente e quando viu uns cortadores de canas num extenso canavial e uma grande usina de álcool, disse para os pobres empregados:
—  Olha aqui, tenho notas de R$50,00 para distribuir para todos, mas quando o Governador passar e perguntar de quem são estas terras deverão dizer que são do Senador Carajás.

Como eles nem sabiam mesmo quem era dono daquilo tudo, ficaram muito agradecidos e quando o Governador passou e perguntou:
—  De quem são estas terras e esta usina de álcool?
— Do Senador Carajás. ­ —  todos os empregados responderam.

E assim o nobre rapaz foi à frente do Governador, com a sua moto e em todo lugar importante que passava fazia o mesmo.

Quando chegou ao seu povoado alugou o melhor restaurante e para lá convidou o Governador e o fictício Senador Carajás, que trajava um terno de casimira inglesa, alugado, que muito agradou a filha do Governador.

Como os dois jovens estavam sempre olhando um para o outro, o Governador muito interessado nas riquezas do Senador, foi logo dizendo:
— Meu jovem, como notei que estão gostando um do outro, porque não se casam?

Aquilo foi como um tiro de canhão! Aquele humilde rapaz não esperava por esta. Mas o seu empregado estava por ali para ajudar, cantou uma canção romântica que tocou mais ainda o coração de Margarida.

Por fim, casaram-se e foram muito felizes... com ajuda do Ga(ro)to de B(r)otas.

Manoel Amaral

sábado, 22 de fevereiro de 2014

A CIGARRA E A FORMIGA - NOVA VERSÃO

Imagem Google

“Muita saúva e pouca saúde, os males do Brasil são.”
Mário de Andrade

Era uma vez, já faz bem tempo, a Formiga humilhou a Cigarra disse que ela era preguiçosa e a mandou cantar. Fazia muito frio, quase que a Cigarra morreu, pois abrigo lhe foi negado.

Hoje a Formiga é que está em péssima situação; perdeu a sua casa quando um enorme trator arou a terra para plantação de capim, com a finalidade de ampliar os pastos do fazendeiro Joaquim.

Nunca mais ela achou o  caminho de casa, indo parar numa horta caseira e ao recortar algumas folhas para construir novo formigueiro, recebeu umas chineladas da dona da casa.

Corre daqui, corre dali, encontrou abrigo num galinheiro onde quase foi engolida por galinhas famintas.

A Cigarra, que estava muito bem, foi cantar mesmo, formou uma banda chamada Cigarrinha Cantante, que tinha até "Cigarretes" para animar os seus shows. Estava ganhando muito dinheiro e comprou uma bela casa.

Não é que agora era a formiga, que ficou sabendo de tudo, procurou a famosa Cigarra e pediu-lhe abrigo? Foi muito bem tratada, pediu que entrasse em sua casa. Foi até convidada para as festas Natalinas. Poderia ficar por ali, trabalhando no equipamento de som, coisa leve e ganhar o seu dinheirinho, até encontrar uma nova morada.

Enquanto procurava um novo formigueiro, ela lembrou do tempo em que maltratou muito a Cigarra, aí ficou arrependida e disse que nunca mais faria isso.



MORAL: Nunca saberemos o dia de amanhã, por isto é bom investirmos no dia de hoje.


Manoel Amaral

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

AS PALAVRAS MAIS BADALADAS DO FACEBOOK

AS PALAVRAS MAIS BADALADAS DO FACEBOOK

Imagem Google

1 - A maior mentira do Facebook é o comentário de todos: -- Linda! Como tem gente feia se sentindo linda por aqui... É que por questão de educação a maioria diz que a dita pessoa está (ou é) bonita, mesmo com umas gordurinhas a mais. Gordurinha é maneira de dizer, é gordurão mesmo.  Ás vezes tem uma baleia na foto e falamos que é uma linda piabinha...

2 - A segunda palavra mais dita por aqui é Copa ou Futebol. Em época de copa, saia da cozinha...

3 – A terceira é: corrupção. A lista é grande, os políticos estão em primeiro lugar.

4 – A quarta: Você é muito inteligente...

5 – A quinta é o falso amor aos animais. São poucos os que pegam animais nas ruas e levam para dentro de casa.

6 – A sexta é Amizade. Nunca vi tantos amigos no Face. Na realidade viram fumaça.

7 – A sétima é: Quente! Como está quente.

8 – Oitava: são duas palavras muito mentirosas: “Te amo!”    Não passa nem um post sem a gente ouvir falar nestas palavras.

9 – A nona diz que você vai emagrecer 5 quilos numa semana... E as pessoas só acreditando.


10 – A décima, para encerrar o assunto é exibição, (acho que esta aqui vem em primeiro lugar). Nunca antes, neste pais, se viu tanta gente se exibindo em fotos e vídeos por aqui. Todo mundo, salvo raríssimas exceções, querem aparecer. Depois ainda reclamam do BBB...

Manoel Amaral
www.casadosmunicipios.com.br