sexta-feira, 2 de agosto de 2013

AGOSTO

         AGOSTO

Se o avião caiu num entreposto, é agosto.
Se as jabuticabeiras e os ipês floriram, é agosto.
Se sua mulher sofreu um desgosto é agosto.
Se na audiência faltou o preposto, é agosto.
Se a cozinheira errou no sal a gosto, é agosto.
Se o guarda saiu do posto, é agosto.
Se você foi naquela viagem a contragosto, é agosto.
Se sua filha adolescente causa desgosto, é agosto.
Se numa sexta-feira 13, está maldisposto, é agosto.
Se não tem gasolina no posto, é agosto.
Se não é o ladrão, apenas o suposto, é agosto.
Se as uvas já estão produzindo o mosto, é agosto.
Se o vento bate forte no seu rosto, é agosto.
Se o feijão faltou e não foi reposto, é agosto.
Se faltou carne do entrecosto, é agosto.
Se você não quer pagar imposto, é agosto.
Se comprou uma TV e não saiu a seu gosto, é agosto.
Se você anda bem indisposto, é agosto.
Se seu pão da manhã está decomposto, é agosto.
Se levantou e está disposto, também é agosto.
Se o corpo da menina está exposto, é agosto.
Se você bebeu e pediu um tira-gosto, é agosto.
Se comprou açúcar puro e veio composto, é agosto.
Se pediu genérico e veio o oposto, é agosto.
Se para sua mulher tem de dizer: -- que bom gosto, é agosto.
Se achou pouco, ainda tem: pressuposto, justaposto, interposto,
anteposto, sobreposto,  tudo no mês de agosto.

Se você não gosta, eu gosto do mês de agosto!


Manoel Amaral

Um comentário: