sábado, 22 de setembro de 2012

OSVANDIR NA ABIN


“A verdade está lá fora.”
(Arquivo X – Chris Carter)

Osvandir recebeu, na sua caixa postal secreta, um inusitado convite para investigar os investigadores.

Tudo estava acertado que ele apareceria no dia tal, mas havia uma semana que ele já trabalhava no caso, depois  de ver vários filmes sobre espionagens e estudar a matéria em livros, revistas e jornais.

Até o filme “O inimigo mora ao lado”, ele assistiu pela internet. Juntou muito material de James Bond e aprendeu como investigar a  Agência Brasileira de Inteligência (ABIN).

Em conversa com um dos maiorais da investigação brasileira, da Polícia Federal, ficou sabendo que deveria se antecipar aos fatos.

Foi o que fez, se instalou no meio da ABIN, se dizendo novo funcionário concursado. Apresentou as credenciais e documentos falsificados, ao Departamento de Pessoal. Não ouve suspeição de nada.

Ouve uma conversa aqui, pega um documento acolá. Faz uma escuta telefônica. Usa a caneta espiã de gravar, filmar e fotografar.

Preparou o seu relatório. Quando a imprensa descobriu o fato, o espião dos espiões já estava preso. E o trabalho de Osvandir foi essencial para esta captura. Sem ele tudo iria por água abaixo.

Se tais fatos fossem revelados para a imprensa seria uma desgaste muito grande para o órgão de segurança da presidência. Muitas informações importantes e secretas seriam vazadas para grandes revistas. E olha que há tempo que elas trabalham para isso. Ou seja, fazem o seu trabalho para conseguir uma boa notícia semanal.

Chega de mensalão. Esta história já cansou a população. Agora seria novos escândalos. Novas cachoeiras deveriam surgir e mais lama sobre os políticos corruptos.

Aqui é assim: quando querem desviar a atenção (o foco) de algum assunto, revelam um muito pior. Seria só por aqui, ou no mundo inteiro, esta técnica é usada pelos grandes mandatários?

Como já dizia Joseph Goebbells: “Nós não falamos para dizer alguma coisa, mas para obter um certo efeito.”

E a sua frase mais importantes de todas: “Uma Mentira contada mil vezes, torna-se uma verdade.”  Muito utilizada no meio político.

“Uma foto vale mais que mil palavras.” Não viram a história da nudez real? Correu mundo e o serviço secreto inglês correu atrás do prejuízo.

Osvandir estava tentando evitar a punição para o espião. E o conselho dele foi que este  esperto jovem fosse deslocado para posições mais estratégicas.

Se ele, com pouco trabalho descobriu senhas secretas, deveria receber  elogios e não punições. Quem sabe trabalhar deve ser promovido. E além do mais o “véu da noiva não pode ser descerrado,” senão dá um azar danado.

Um segredo desses, indo parar na mão de estranhos, mal intencionados e todo um organismo de segurança seria esfacelado.

Será que existe alguém interessado por trás disso tudo?
No caso da explosão de foguetes na base maranhense de Alcântara havia muita gente interessada que o Brasil não lançasse o seu satélite. Tudo foi pelos ares.

No acidente aéreo com cientistas brasileiros,  pairou uma dúvida muito grande, se aquilo seria uma sabotagem...

Sem falar nas pastas James Bond com os notebooks e documentos altamente secretos da Petrobrás.

É melhor até parar por aqui, a lista é enorme.

O jovem espião dos espiões já foi solto, pagou a fiança. Caso encerrado nesta pasta do Arquivo Y.

Manoel Amaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário