segunda-feira, 27 de agosto de 2012

B. CASSIDY & S. KID - V


B. CASSIDY & S. KID - V

AS FARC

Como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – FARC monitoravam o sistema de rádio da polícia, ficaram sabendo que qualquer coisa estranha estava acontecendo.

De imediato, vinte terroristas, armaram um bloqueio depois de uma curva.
Kid estava achando tudo muito tranquilo, cutucou Cassidy que já cochilava. 

Este se assustou e perguntou do que se tratava:
-- ¿Qué pasa amigo?
O motorista parou o carro e pensou que queriam descer.
--No quiero bajar.

Pelo pouco tempo que estavam naquele país até que a fala não estava tão ruim.

Quando ouviram um tiro de fuzil, aí a coisa piorou. Cassidy & Kid saltaram do veículo e se esconderam próximo de umas pedras. Nem se lembraram de levar o dinheiro.

José Ramon e Pretta abaixaram-se e ficaram esperando para ver o que acontecia.

Um grande tiroteio lá para os lados da curva. A polícia resolveu atacar os membros das FARC achando que eles tinham alguma coisa a ver com o assalto.

As FARC - Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colômbia, o Ejército del Pueblo, são consideradas uma organização terrorista pelo governo da Colômbia e pelo governo dos Estados Unidos.

Eles lutam contra “el deliberado propósito de enriquecer a una élite local privilegiada, en grave perjuicio delos intereses de las grandes mayorías colombianas”.

Pois é, mas a luta lá longe continuava, até que os quatro amigos entendessem que aquilo tudo não tinha nada com eles.

Ramon reconheceu um amigo no meio do mato e fez um sinal para aproximação. Ele andava meio sumido, tinha entrado para as FARC.

Tudo arranjado, com alguns bolívares nas mãos e o assunto resolvido, iria conversar com o seu chefe.

Benedito Cassidy, Salvador Kid, Pretta Silva e José Ramon infiltrar-se-iam no bando e ninguém diria mais nada.

No outro dia três cadáveres foram encontrados na estrada, os rostos desfigurados. A polícia  boliviana informou a Interpol que haviam matado os bandidos brasileiros.

Manoel Amaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário