domingo, 5 de dezembro de 2010

Homenagem ao Osvandir





Osvandir sempre entra em alguma aventura...

Repleta de emoção, diversão e loucura!

Ele encontra sempre uma lenda urbana...



Em cada esquina ou numa solitária cabana!



Ele conheceu o País das Maravilhas...

E virou fantasma em Brasília!

Ele não tem medo de navalha...

Só do palhaço chamado Palha,



Que foi muito bem eleito...

Mesmo sendo analfabeto funcional...

Lembrando de um jeito perfeito...

O Sassá Mutema da novela Global!



Osvandir já foi fantasiado de mosquito...

Num badalado e popular carnaval...

Mas pegou dengue de um modo aflito...

De um jeito nada original!



Osvandir também teve seu momento de ternura...

Quando ele se apaixonou com candura...

E de um jeito nada altivo...

Pela moça do coletivo...



Sem saber que ela surda-muda...

Mesmo assim o amor não perdeu a luta!



Osvandir sempre entra em alguma aventura...

Repleta de emoção, diversão e loucura!

Ele encontra sempre uma lenda urbana...

Em cada esquina ou numa solitária cabana.



Luciana do Rocio Mallon


Um comentário:

  1. Muito bacana a poesia.
    Muito legal e descreve Osvandir exatamente como ele é.
    Gostei muito.
    Parabéns a autora.
    Thymonthy

    ResponderExcluir