terça-feira, 22 de junho de 2010

OSVANDIR E NAZTAR NA ÁFRICA DO SUL

Capitulo III
A COPA DO MUNDO

Naztar queria ver o jogo do Brasil e Costa do Marfim, por sorte Osvandir tinha um amigo que havia ligado falando de dois ingressos, ele não iria por problemas na família. Aproveitaram o domingo e foram ver o jogo no Soccer City Stadium.

As autoridades de Joanesburgo capricharam, fizeram um trabalho muito interessante de arquitetura. Do lado de fora já dá para ver a grandeza desta obra.

Quando adentraram naquele fabuloso estádio, tudo novo, organizado, coisa de primeiro mundo, ficaram impressionados.

Naztar não entendia quase nada de futebol, gostava de outro tipo de esporte de sua terra, o basquetebol. Algumas coisas que Osvandir sabia repassava para o neto de Tarzan.

Os jogadores do Brasil entraram em campo: Júlio César; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva e Felipe Melo; Elano, Kaká e Robinho; Luís Fabiano, o Técnico – Dunga, como sempre com aquela cara fechada.

O Time da Costa do Marfim com Barry; Demel, Kolo Touré, Zokora e Tiéné; Yaya Touré, Eboué e Tioté; Dindane, Drogba e Kalou (Keita) com o Técnico Sven-Göran Eriksson, de origem francesa.

As mulheres gritavam: __ Kaká, Kaká, Kaká!!!

Robinho fez alguns gestos e elas gritaram ainda mais.

Os hinos foram tocados, a emoção foi geral. Das arquibancadas as vuvuzelas faziam aquele barulho ensurdecedor. Parecia que estavam numa colméia gigante de tanto zunzum, tudo no maior agito.

Faixas verde-amarelas e o alaranjado preencheram todos os espaços.
O primeiro gol saiu aos 24 minutos do primeiro tempo, era Luis Fabiano. Depois vieram os outros gols no segundo tempo, um do Fabiano, novamente, e o outro do Elano, pelo Brasil e depois no finalzinho do jogo um gol da Costa do Marfim, pelo Drogba. 3 x 1, um bom resultado para o Brasil.

No meio daquela multidão barulhenta saíram Naztar e Osvandir, foram para o hotel, que havia reservado há bem tempo, mas que não fora usado devido os contratempos, das idas e vindas, as aventuras com os piratas e o salvamento dos mineiros.

Assim que tomaram o primeiro lanche naquele luxuoso hotel, ficafram sabendo de notícias que não eram nada agradáveis. Traficantes de animais, marfim e peles, estavam agindo em Moçambique. O jornal anunciava que as autoridades moçambicanas havia prendido dois deles, sendo um de nacionalidade inglesa e o outro americano.

Em vários países africanos, aumentaram o número de elefantes abatidos por caçadores, para retirada do marfim. O enxame de turistas que vieram para assistir os jogos da copa, triplicou o comércio ilegal de animais. Pequenos macacos e aves coloridas eram os preferidos. Peles de animais raros também estavam à venda pelos traficantes.

O tráfico de animais põe em risco a biodiversidade do planeta e Naztar estava muito preocupado com estes fatos. A caça selvagem provoca uma diminuição da população dos animais em extinção.

O grande problema é a pobreza, aqueles homens as vezes vão vender os animais ou peles porque não tem nada para dar de comer aos seus numerosos filhos.

Mas existem outros que faturam alto com estas atitudes. Os chineses compram grande quantidade de marfim da África.

Quando Osvandir tentavam entrar no elevador, foi chamado por um gerente do hotel. Havia um recado para ele vindo da Tanzânia.

Manoel Amaral

Um comentário:

  1. Eh, a matança de elefantes na áfrica, esta indo de mal a pior.
    Quem sabe osvandir não tem uma solução para minimizar este triste fato?
    Vamos esperar para ver o que ele irá fazer na Tânzania.
    Abraços

    ResponderExcluir