quarta-feira, 5 de agosto de 2009

OSVANDIR, AVENTURA EM ISRAEL


“Que imenso tesouro pode estar oculto num simples coração.”
Osmair, tio do Osvandir




Osvandir leu num jornal que o Departamento de Antiguidades de Israel colocara em exposição os últimos textos encontrados em 1947, no deserto, numa caverna perto de KHIRBET QUMRÂN, a 128 km de Jericó. Estes textos, na maioria, muito antigos, alguns são datados de aproximadamente 250 antes de Cristo e outros do ano 70 da era comum.

Aproveitou uma viagem que fez ao Oriente Médio, para visitar Israel, mais precisamente em Jerusalém

Ao descer no aeroporto, Osvandir foi convidado a prestar alguns esclarecimentos ao Mossad, Serviço de Inteligência Israelense, sobre o que escreveu falando de Israel no texto “Quem matou este homem” (link: http://osvandir.blogspot.com/2009_04_01_archive.html), que constava em sua ficha policial daquele país.

Osvandir argumentou que aquilo era apenas um conto, bem como quase tudo que escreve, razão pela qual em seu blog, logo abaixo de seu nome, está a informação que os textos tratam de ficção.

Liberado, foi visitar o Museu do Livro, Eichal HaSefer, em Jerusalém, lugar onde são abrigados os Manuscritos do Mar Morto, além de ser um centro de informação e estudos sobre o assunto.

A cúpula do prédio é em formato da tampa dos vasos onde foram encontrados os pergaminhos. O santuário é construído com uma cúpula branca simbolizando os filhos da luz, e uma basalt wall negra - simbolizando os filhos das trevas.

Osvandir achou que parecia com uma nave pousada. Fotografou e enviou uma cópia para o seu amigo Mario Rangel, que coleciona estes tipos de fotos.

Dos documentos exposto, o que mais interessou ao nosso herói, foi o rolo de cobre, cujo conteúdo traz a localização de tesouros do Templo, com mais de 200 toneladas de ouro e prata, enterrados em vários locais.

Os demais documentos trazem orações, rituais e regras provavelmente dos essênios, uma comunidade que viveu em Quran. Estão escritos em várias línguas: hebraico, aramaico e grego.

A secretaria do Museu colocou à disposição de Osvandir um CD-ROM, com cópia exata do rolo de cobre que tanto lhe interessou.

Na manhã seguinte seguiu por uma rodovia asfaltada, até encontrar as famosas cavernas, num deserto de difícil locomoção. Parou o carro em frente a que estava mais próxima, subiu num pequeno morro de pedras, esgueirou-se por entre brechas das rochas e conseguiu entrar naquela que seria uma das mais importantes cavernas, onde encontraram vários documentos antigos.

Conseguiu penetrar até ao fundo projetou a lanterna no teto, depois pelas paredes laterais. Encostou a mão num local onde estava mais liso e empurrou, para sua surpresa viu alguma coisa mover-se, provocando um barulho de terra despencando. Caminhou para direção contrária e escondeu-se atrás de uma grande pedra.

Quando a poeira acabou, focou a lanterna naquele local e o que viu causou-lhe um espanto. Debaixo daquelas pedras que caíram havia um grande vaso, vedado por uma tampa. Ao removê-la, notou vários rolos de pergaminho e no fundo algumas moedas muito antigas. A maioria de prata.

Imediatamente comunicou o fato ao Departamento de Arqueologia de Israel, que enviou várias pessoas para remover o que foi encontrado.

Em agradecimento, Osvandir recebeu daquele departamento, uma réplica de moedas antigas. As autoridades reconheceram o grande valor da descoberta.

Na hora do embarque o aparelho do aeroporto acusou presença de metal. Osvandir mostrou as moedas e o CD-ROM que recebera das Autoridades Israelenses. Analisaram a bagagem de mão e liberaram.

Em casa, desfazendo as malas, encontrou na sua bagagem de mão uma estranha moeda de ouro. Sem saber como aquela relíquia foi parar ali, tentou lembrar dos últimos momentos que passou no aeroporto internacional de Israel. Lembrou que conversara com um Senhor que se identificara como Isaac, dissera ser pesquisador dos pergaminhos antigos e estava muito feliz com a nova descoberta. Estranhou o abraço apertado que recebeu na hora da partida.

No seu escritório, consultando os jornais digitais favoritos, deparou com a seguinte reportagem:
Brasileiro descobre tesouro em Israel
Manoel Amaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário