quinta-feira, 13 de setembro de 2007

OSVANDIR NO ESPAÇO VII

CAPÍTULO VII – IMPLANTES

Dia seguinte ele saiu cedo, fiquei preocupado, ligou-me mais tarde dizendo que estava à beira de um rio e que não era para preocupar-me que voltaria logo, estava apenas observado a paisagem e ouvindo os pássaros.
Chegou em casa, quis comer um frango, preferência caipira, com quiabo e angu. Fomos ao mercadinho do Senhor Luiz, comprar quiabo e o frango achamos mais abaixo, no açougue do Quinzinho.
Tudo na sacola, rumamos para fazer as suas vontades de homem abduzido...
Osvandir apareceu três semanas depois na casa de Osmair, sem se lembrar de como teria chegado lá.
Sentou-se no sofá da casa de seu tio completamente desnorteado. Osmair tentava ajudá-lo a recuperar ao menos alguns fragmentos de sua memória, mas suas tentativas falhavam. Osvandir sugeriu que comessem algo e ambos foram para a cozinha, onde se puseram a conversar sobre assuntos familiares. Comeram e partiram para um descanso.
A noite começava a chegar quando Osvandir despertou e se dirigiu à sala, encontrando seu tio. Este se encontrava pensativo, em meio a livros e revistas de ufologia. Osvandir se surpreendeu, pois seu tio nunca se interessara pelo tema. Então Osmair começou a relatar-lhe o que estaria ocorrendo consigo nas últimas semanas. Após o incidente que ocorrera com os homens vestidos de preto, flashes de uma espécie de memória do que acreditava nunca ter vivido lhe assolavam. Tinha sonhos com seres estranhos e nos quais a figura de seu sobrinho Osvandir sempre se fazia presente. Há exatamente uma semana teria olhado para o céu e visto um objeto luminoso se movendo em ziguezague. Foi então que começou a comprar compulsivamente material para leitura em ufologia. Osvandir, como bom pesquisador, explicou ao seu tio o que sabia sobre o assunto.
Teria Osmair sido abduzido? Os estranhos homens teriam lhe hipnotizado e implantado falsos registros em sua mente, provocando inclusive alucinações?
Por que Osvandir não se lembrava de nada desde que saiu de casa para investigar um caso ufológico? Por que a imagem dele estaria sempre presente nos sonhos de seu tio Osmair?
Osmair se levantou para buscar água para ambos, quando Osvandir sentiu um incômodo atrás do ombro direito e pôs se a coçar com a mão esquerda. Sentiu uma pequena protuberância na pele. Havia um caroço. Disse ao seu tio, que, ao ouvir da cozinha a descrição da localização, se concentrou em seu próprio ombro e também sentiu algo. Largou um dos copos e também se pôs a coçar. Que estranho! Também havia um pequeno caroço!
By Rafael & Manoel

Nenhum comentário:

Postar um comentário