segunda-feira, 27 de agosto de 2007

OSVANDIR NO ESPAÇO III - Rafael

Capitulo III
OS HOMENS DE PRETO
Sim, é possível que Osvandir tenha sido abduzido!
Nosso bravo pesquisador encontrava-se então imerso num estado psicodélico: ouvindo estranhos sons que oscilavam entre os ouvidos, e vendo imagens e luzes coloridas que ora formavam figuras aparentemente conhecidas, ora se fundiam em abstrações. Mas apesar de tudo ele sentia sensações físicas localizadas em diversas partes do corpo.
Sentiu vontade de respirar profundamente, e neste exato momento as imagens começaram a se dissolver e uma forte luz branca não odeixava distinguir mais nada. Percebeu então algo como um tubo penetrando sua boca em direção aos confins de seu trato digestivo assim que retomou a lucidez. O que estaria se passando pela suamente investigativa naquele momento?
Após sair mais uma vez pela porta do banco ao constatar o atraso no salário, coisa corriqueira na vida de Osmair, tio de Osvandir, este olhou para o céu, também respirou fundo, e pôs-se a caminhar pela calçada. No exato instante em que baixou a cabeça, algo piscou no firmamento. Percorreu uns cem metros e virou-se para atravessar arua. Foi quando um carro preto parou diante dele, e dois homens de uniformes da mesma cor saíram do veículo e praticamente o obrigaram a entrar. Sentiu a arrancada ao mesmo tempo em que tentava identificar algum dos sujeitos sem sucesso. Percebeu um cheiro de éter ficar cada vez mais forte, até perder a consciência.
Algumas horas depois Osmair acordou num quarto e tomou de imediato um susto ao se deparar com sua própria imagem num espelho. O cabelo desgrenhado, olheiras e a camisa um pouco amassada e desarrumada. Ajeitou-se um pouco e se levantou. Percorreu a sala em torno de uma mesa central. Bateu na porta, no espelho, e por fim sentou-se em umadas cadeiras. Não imaginava por que estaria ali. Alguns minutos depois ouviu passos e pôde perceber sombras em movimento na luz quepassava sutilmente por baixo da porta.
Contornos humanóides começaram a se formar na visão de Osvandir. Sentiu o tubo sendo retirado, mas uma forte tontura não o deixava esboçar qualquer tipo de resistência. Após mais alguns minutos semse movimentar, e sua visão permitiu identificar as feições da figuradiante dele, ainda duplicada e se movendo em círculos. Mais alguns segundos e identificou o rosto do médico que fizera endoscopia nele há alguns anos.
Estaria Osvandir novamente no consultório cuidando de alguma úlcera?
Ou em nosso intrépido investigador teriam os aliens injetado alguma substância que confundiria a consciência com visões misturando a percepção de alguns fatos do passado com a de outros do presente?
Os mesmos dois homens abriram a porta e pediram que Osmair osseguisse. Sem escolha, ele assim o fez. Foi encaminhado para a saídado estabelecimento (uma espécie de escritório sem qualquer placa), e recebeu o pedido de desculpas acompanhado de despedidas. Pôs-se novamente a caminhar pela calçada um pouco desnorteado e indignado por não ter recebido mais explicações além da que teria sido confundido com uma outra pessoa. Chegou em sua casa, e percebeu alguns papéis jogados no chão.
Alguém estivera lá.
Continua... Rafael e Manoel

Nenhum comentário:

Postar um comentário